Ir para o Portal Estácio
Voltar

Blog

faculdade de Jornalismo

Tudo sobre o curso de Jornalismo

Escrito por:

Perfil do profissional do curso

O bom jornalista deve ter uma vasta cultura geral, adquirida na leitura cotidiana em jornais, revistas, televisão, rádio, internet, entre outras mídias. Em virtude da multiplicidade de plataformas de notícias e informação, esse profissional, cada vez mais, precisa ter espírito de investigação, audácia e disciplina para organizar informações com ética e compromisso com a verdade.

Apto a ser um profissional multimídia e multitarefa, com capacidade de reflexão e análise crítica, o jornalista também é responsável por coordenar a produção e recepção das mensagens jornalísticas de assessorias de comunicação, agências de notícias, veículos impressos, emissoras de rádio e televisão, portais e sítios de informação, produtoras de áudio, de áudio e vídeo, marketing de empresas públicas, privadas, de terceiro setor e de conteúdo em empreendimentos próprios.

O que estuda e quais desafios irão encontrar no decorrer do projeto?

O século XXI requer de seus contemporâneos competências e habilidades bem mais sofisticadas do que se logrou em épocas passadas, fruto dos intensos avanços culturais, políticos, econômicos, sociais e tecnológicos que recentemente vimos eclodir em todas as áreas da atuação humana, em todos os campos do saber. Particularmente, a mídia tem exercido papel de protagonista nesse movimento transdisciplinar global, ocupando destaque na sociedade que vem sendo considerada da informação e do conhecimento.

Diante desse cenário, é evidente que o curso de JORNALISMO atua como espaço de aprimoramento de tal conhecimento. Segundo o Instituto Verificador de Circulação – IVC (Jornal O Globo (24/01/2013 – pág.28): “A circulação de jornais no país aumentou 1,8% no ano passado, esse resultado foi puxado por edições digitais. A circulação digital de jornais cresceu 128%, que alcançou a média diária de 143 mil exemplares no ano passado, contra 63 mil em 2011”).  O curso de Jornalismo da Estácio oferece plenas condições para o aluno atuar neste mercado.

O curso de Jornalismo da Estácio tem duração de 8 semestres (ou 4 anos) e possui um currículo com disciplinas com o foco no mercado jornalístico atual. Os alunos são orientados por professores mestres e doutores nas disciplinas teóricas, e por profissionais de alta visibilidade e atuantes no mercado de trabalho jornalístico, nas disciplinas práticas. O curso enfatiza o estudo tanto dos meios de comunicação tradicionais quanto os meios digitais. Importante também destacar os laboratórios práticos de Redação Jornalística, de Telejornalismo, de Radiajornalismo, Fotojornalismo, Agência Experimental de Notícias, com computadores Macintosh e outros equipamentos de última geração, que colocam o aluno em contato com a realidade da profissão. No curso de Jornalismo da Estácio, o aluno já começa praticando ao mesmo tempo em que desenvolve seu conhecimento teórico.

Campo de atuação e mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o futuro jornalista está em expansão. É um mercado crescente, pois, hoje, há grande avanço das tecnologias de informação e comunicação e, consequentemente, das mídias digitais. Esse cenário amplia o campo de atuação do jornalista para além das possibilidades profissionais atreladas a mercados já consolidados, como, por exemplo, a imprensa escrita.

É possível, também, atuar em portais de notícias da internet e na produção de conteúdo informacional para marcas nas redes sociais digitais.  Vale destacar, ainda, a necessidade do trabalho integrado exigido pelas assessorias de comunicação, que demandam cada vez mais um profissional qualificado para exercer as funções de gestão e planejamento das atividades relacionadas à comunicação.

O mercado também busca jornalistas para áreas específicas e correlatas ao jornalismo, como jornalismo empresarial, ambiental e científico, além do digital. O profissional de jornalismo também pode atuar na gerência da área em organizações empresariais privadas, sindicatos, federações, órgãos públicos, ONGs, além de outros campos alternativos, como estúdios fotográficos, institutos de pesquisa e produtoras.

Produzido por: Beatriz Schmidt, Coordenadora Pedagógica Nacional de Comunicação e Artes