Ir para o Portal Estácio
Voltar

Blog

faculdade de Fisioterapia

Tudo sobre o curso de Fisioterapia

Escrito por:

O que é Fisioterapia?

Fisioterapia é uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais de órgãos e sistemas do corpo humano. O objeto de estudo da Fisioterapia é a função relacionada a movimentos de todos os sistemas do corpo humano. O tratamento, prevenção e recuperação funcional se fazem através de recursos físicos, como o movimento, o calor, a luz, as ondas eletromagnéticas, o som, dentre outros, amplamente explorados por esse profissional.

Como trabalha um fisioterapeuta?

Um profissional de Saúde, com formação acadêmica superior em Fisioterapia, está habilitado à construção do diagnóstico dos distúrbios cinéticos funcionais, à prescrição das condutas fisioterapêuticas, à ordenação e tratamento do paciente. Ainda, o fisioterapeuta acompanha a evolução do quadro clínico funcional e as condições para alta do serviço. Suas ações podem ser fundamentadas em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da Biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da patologia de órgãos e sistemas do corpo humano e das disciplinas comportamentais e sociais.

Quais cargos/carreiras são elegíveis à formação do curso?

Estará apto a atuar de forma integral em ambulatórios, consultórios, centros de reabilitação, hospitais e clínicas e spas e também em ações de saúde coletiva – saúde pública, nas empresas (fisioterapia do trabalho), em programas institucionais e na pesquisa, supervisão técnica e administrativa, nos esportes e nas indústria de equipamentos de uso fisioterapêutico.

Como é a formação?

Pretende-se formar um profissional generalista, humanista, crítico, reflexivo, competente, capacitado para atuar em todos os níveis de atenção a saúde, bem como em outras atividades relacionadas: educação, gestão, consultoria e projetos em saúde. Esse profissional detém visão ampla e global, respeitando os princípios éticos e culturais do indivíduo e da coletividade, estando preparado para integrar uma equipe multidisciplinar e ser cônscio para a necessidade de educação continuada.

O que esperar do primeiro ano?

Há uma preocupação em proporcionar o conhecimento das ciências biológicas e da saúde e do movimento, de forma a alicerçar a Fisioterapia enquanto ciência, em disciplinas como Anatomia Sistêmica e do Aparelho Locomotor, Biologia Celular, Fundamentos de Bioquímica, Fundamentos de Imunologia e Microbiologia, Física e Biofísica, além de História e Fundamentos da Fisioterapia.

Quando começam as disciplinas específicas?

O toque terapêutico começa a ser desenvolvido no segundo período com a disciplina de Recursos Terapêuticos Manuais. Temos disciplinas relacionadas à avaliação morfofuncional, como Anatomia Palpatória, Avaliação Cinético Funcional, Cinesiologia e Biomecânica, Avaliação Cinéticofuncional e Estudos de Exames por Imagem. Esse conjunto fornece condições essenciais para um aprendizado global do exercício da fisioterapia. O conhecimento dos recursos fisioterapêuticos vai se desenvolvendo no decorrer do curso com Cinesioterapia, Terapia Aquática, Eletrotermofototerapia, Próteses e Órteses e Psicomotricidade, possibilitando a integração do processo diagnóstico-tratamento fisioterapêutico discutido em disciplinas específicas, como Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia, Fisioterapia Neurofuncional, Fisioterapia Respiratória, Fisioterapia Dermatofuncional, Fisioterapia Cardiovascular, Fisioterapia Desportiva. Há também disciplinas que contribuem para a manutenção da saúde, bem-estar e melhor qualidade de vida das pessoas, famílias e comunidades – Fisioterapia na Saúde da Família, Fisioterapia na Saúde da Mulher, Fisioterapia na Saúde da Criança, Fisioterapia na Saúde do Idoso e Fisioterapia na Saúde do Homem.

Há atividades práticas na formação?

O aluno deverá cumprir 1008 horas de estágio obrigatório a fim de se preparar para promoção de saúde, prevenção de doenças funcionais, avaliação e tratamento fisioterapêutico, assim como estabelecer prognóstico, reavaliar condutas e decidir pela alta fisioterapêutica.

Chegando ao fim do curso…

O aluno, no final do curso, deverá estar apto a desenvolver e executar métodos e técnicas de investigação científica que contribuam na produção do conhecimento e, para isso, deverá desenvolver um artigo científico como trabalho de conclusão de curso.

PERFIL PROFISSIONAL

Quais as competências e habilidades mínimas que o profissional deverá desenvolver?

Dentre várias competências exigidas desse profissional, destacamos:

– Desenvolver aptidão para ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo, assegurando sua integração e continuidade.

– Tomar decisões visando o uso apropriado, eficaz e eficiente quanto ao custo-efetividade do trabalho, de equipamentos, de procedimentos e de práticas, para que se faça um aproveitamento pleno do tempo do serviço prestado.

– Ter compromisso coletivo com o paciente e com a profissão, o que inclui responsabilidade com a sua educação continuada, e o aprendizado constante.

– Ser acessível e manter a confidencialidade das informações na interação com outros profissionais de saúde e com o público em geral.

– Estar apto a tomar iniciativas, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que deve estar apto a ser empreendedor, gestor, empregador ou líder de equipe de saúde

MERCADO DE TRABALHO:

Um fisioterapeuta pode atuar em diversas frentes de trabalho:

– Concurso público para atuação em saúde pública – unidades básicas de saúde – programas de saúde do governo;

– Fisioterapia Clínica – em ambulatórios, consultórios, centros de reabilitação, hospitais e casas de repouso para idosos;

– Clinicas de Estética – spas, institutos de beleza, clínicas (pré e pós cirurgias plásticas);

– Empresas diversas – fisioterapia do trabalho junto a equipe de prevenção de acidentes de trabalho; promover ações terapêuticas preventivas a instalações de processos que levam a incapacidade funcional laborativa;

– Docência – níveis médio e superior, extensão e pesquisa, supervisão técnica e administrativa;

– Academias e clubes esportivos – fisioterapia do esporte;

– Vigilância sanitária – integrar a equipe e colaborar com as autoridades de fiscalização profissional e/ou sanitária; – Escolas e creches – diagnósticos e orientação postural, diagnóstico e orientação no desenvolvimento psicomotor;

– Participar de estudos e pesquisas em Fisioterapia e Saúde, visando a educação continuada;

– Equipamentos e produtos para Fisioterapia – desenvolver/projetar protótipos de produtos de interesse do fisioterapeuta e/ou da Fisioterapia, desenvolver e avaliar a utilização desses produtos no meio social, elaborar manual de especificações.

ESTÁGIO E TRAINEE:

– Os alunos só poderão estagiar no último ano do curso, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais e os órgão da classe (COFFITO e CREFITOs).

CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO:

Existem no mercado alguns cursos de aperfeiçoamento, mas estar capacitado para planejamento de projetos, marketing pessoal e gestão da carreira traz um diferencial para qualquer profissão.

Texto produzido pela Professora Sandra Mayworm, Coordenadora Nacional do curso de Fisioterapia.