Ir para o Portal Estácio
Voltar

Blog

Farmácia

Tudo sobre o curso de Farmácia

Escrito por:

INTRODUÇÃO:

Panorama geral do curso: O Curso de Farmácia da Estácio é integralizado em no mínimo 10 semestres, com um total de 4394 horas incluindo a carga total de estágio de 870 horas, estando de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacional do Ministério da Educação.

CURSO:

O que esperar do primeiro ano?

O discente possui uma matriz curricular pensada para atender as demandas de sua empregabilidade no futuro. No primeiro ano, por exemplo, além das disciplinas básicas para a formação geral do profissional, ele terá a acesso às disciplinas especificas como Assistência Farmacêutica, mostrando ao aluno a variedade de conhecimento que ele irá vivencia ao longo do curso.

Quando começam as disciplinas específicas?

As disciplinas especificas permeiam toda a grade curricular, como a assistência farmacêutica logo no primeiro período, passando por disciplinas como farmacobotanica no segundo ano, e a partir do terceiro ano, destaca-se as disciplinas que são consideradas diferenciais, no curso como farmácia oncológica,  farmacoepidemiologias, estudos cromatográficos,  atenção farmacêutica, garantia da qualidade, e  administração e marketing farmacêutico. Todas essas disciplinas são obrigatórias para o aluno, tornando-as um diferencial na construção do conhecimento para o futuro profissional.

O curso possui estágio obrigatório?

O aluno do curso de farmácia, tem um total de 870  horas de estágio supervisionado obrigatório,  onde a universidade oferece em vários campos da  profissão, como indústria farmacêutica, farmácias de manipulação e homeopática, centros de tratamento oncológico, hospitais públicos e privados, indústria farmacêutica e de cosméticos entre outros.

O curso solicita trabalho de conclusão de curso para se graduar?

O aluno para conseguir o seu diploma, deve realizar um trabalho de conclusão de curso obrigatório pelo MEC. Para isso ele terá duas disciplinas especificas sobre o assunto, onde o discente poderá criar e gerenciar todo o processo de criação com um professor do curso que irá acompanha-lo até o fim. Ao final, o TCC será aprovado por uma banca previa para que haja a integralização do curso.

PERFIL PROFISSIONAL:

Competências e habilidades mínimas que o profissional deverá desenvolver:

São aquelas constantes nas Diretrizes Nacionais do MEC, para o curso de Farmácia.

Competências:

– Respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício profissional;

– Atuar em todos os níveis de atenção à saúde, integrando-se em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e recuperação da saúde, sensibilizados e comprometidos com o ser humano, respeitando-o e valorizando-o;

– Atuar multiprofissionalmente, interdisciplinarmente e transdisciplinarmente com extrema produtividade na promoção da saúde baseado na convicção científica, de cidadania e de ética;

– Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida, e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso, em todos os níveis de complexidade do sistema;

– Exercer sua profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social;

– Conhecer métodos e técnicas de investigação e elaboração de trabalhos acadêmicos e científicos;

Habilidades:

– Desenvolver assistência farmacêutica individual e coletiva;

– Atuar na pesquisa, desenvolvimento, seleção, manipulação, produção, armazenamento e controle de qualidade de insumos, fármacos, sintéticos, medicamentos, cosméticos, saneantes e domissaneantes e correlatos, recombinantes e naturais;

– Atuar em órgãos de regulamentação e fiscalização do exercício profissional e de aprovação, registro e controle de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos;

– Atuar na avaliação toxicológica de medicamentos, alimentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos;

– Realizar, interpretar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises clínico-laboratoriais, incluindo os exames hematológicos, citológicos, citopatológicos e histoquímicos, biologia molecular, bem como análises toxicológicas, dentro dos padrões de qualidade e normas de segurança;

– Realizar procedimentos relacionados à coleta de material para fins de análises laboratoriais e toxicológicas;

– Avaliar a interferência de medicamentos, alimentos e outros interferentes em exames laboratoriais;

– Avaliar as interações medicamento/medicamento e alimento/medicamento;

– Exercer a farmacoepidemiologia;

– Exercer a dispensação e administração de nutracêuticos e de alimentos de uso enteral e parenteral;

– Atuar no planejamento, administração e gestão de serviços farmacêuticos incluindo registro, autorização de produção, distribuição e comercialização de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos;

– Atuar no desenvolvimento e operação de sistemas de informação farmacológica e toxicológica para pacientes, equipes de saúde, instituições e comunidades;

– Interpretar e avaliar prescrições;

– Atuar na dispensação de medicamentos e correlatos;

– Participar na formulação das políticas de medicamentos e de assistência farmacêutica;

– Formular e produzir medicamentos e cosméticos em qualquer escala;

– Atuar na promoção e gerenciamento do uso correto e racional de medicamentos, em todos os níveis do sistema de saúde, tanto no âmbito do setor público como do privado;

– Desenvolver atividades de garantia da qualidade de medicamentos, cosméticos, processos e serviços onde atue o farmacêutico;

– Realizar, interpretar, avaliar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises de alimentos, de nutracêuticos, de alimentos de uso enteral e parenteral, suplementos alimentares, desde a obtenção das matérias primas até o consumo;

– Atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de produtos obtidos por biotecnologia;

– Realizar análises físico-químicas e microbiológicas de interesse para o saneamento do meio ambiente, incluídas as análises de água, ar e esgoto;

– Atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de hemocomponentes e hemoderivados, incluindo realização, interpretação de exames e responsabilidade técnica de serviços de hemoterapia;

– Exercer atenção farmacêutica individual e coletiva na área das análises clínicas e toxicológicas;

– Gerenciar laboratórios de análises clínicas e toxicológicas;

– Atuar na seleção, desenvolvimento e controle de qualidade de metodologias, de reativos, reagentes e equipamentos.

Atitudes:

– Desempenhar, quando necessário, liderança dentro do seu ambiente de trabalho ou do seu meio social, visando solucionar problemas ou situações de dificuldade com as quais pode se deparar no exercício da sua profissão;

– Apresentar atitude pró-ativa e empreendedora na busca de novos procedimentos e tecnologia;

Entender a necessidade de atualização contínua no seu aprendizado, aprimorando seu conhecimento, não só em conteúdos específicos como também em conhecimentos gerais

MERCADO DE TRABALHO:

Segundo a revista EXAME, nos últimos anos, o setor farmacêutico no Brasil viveu uma revolução. A entrada dos genéricos no mercado é um dos motivos, mas não o único. “O governo é o principal cliente da indústria farmacêutica e ele mudou”, afirma Silvia Carvalho, consultora sócia da Abrahams Executive Search.

A demanda ficou mais exigente e a competição, acirrada. Para responder a este cenário, novas profissões foram criadas. E, a tendência, é que ocupem mais espaço no mercado, segundo a especialista. Confira quais são estes cargos e o perfil ideal para ocupá-los:

Gerente de acesso ao mercado público

É o profissional responsável por fazer o meio de campo entre governo e indústria farmacêutica. “Ele atua antes do processo de licitação, oferecendo soluções especificas de como a empresa pode ajudar no contexto de cada região”, diz Silvia.

Os requisitos não seriam para menos: profundo conhecimento dos medicamentos (principalmente, as questões técnicas que são relevantes para o governo), além de domínio das políticas públicas – que podem variar em cada região. Os salários podem chegar a 25 mil reais por mês.

Gerente de acesso ao mercado privado

Neste caso, o profissional media a relação entre a indústria farmacêutica e desde seguradoras de saúde até hospitais. A tarefa é, praticamente, a mesma: mapear necessidades e entregar soluções. Saber tudo sobre os medicamentos e ter uma boa relação com os clientes é a combinação fundamental.

“É um trabalho proativo. Antes do produto ser lançado, eles já começam o trabalho de acesso”, diz a especialista. Os salários podem chegar a 25 mil reais por mês.

Em outra reportagem feita pela PFARMA, site da profissão farmacêutica:

Salário do Farmacêutico no Brasil:

A média salarial foram obtidas através do Salariometro que utiliza dados do Ministério do Trabalho. No Brasil a média salarial recebida pelo farmacêutico no período de dezembro de 2010 há maio de 2011 foram:

– R$: 1.796 para farmacêuticos da categoria CBO 223405;

– R$: 1.819 para farmacêuticos da categoria CBO 223410;

A renumeção média anual do farmacêutico no Brasil é de R$: 22 mil, uma distância muito grande dos farmacêuticos norte-americanos que receberam uma renumeração média de R$: 174 mil (uma diferença de R$: 152 mil, ou seja, 87%).

Em 2007 a FGV publicou uma pesquisa das profissões mais bem pagas do Brasil, o farmacêutico não apareceu entre as 20 profissões com melhor colocação.

Segundo o Jornal Estadão a média do salário do farmacêutico paulista é de R$: 2.600 (18 de setembro de 2011).

Além dos baixos salários as contratações continuam em alta, entre janeiro e maio de 2011 foram contratados 15.651 farmacêuticos em todo o Brasil.

ESTÁGIO E TRAINEE:

Sem duvida, os estágios mais frequente para o aluno de Farmácia está nas farmácias e drogarias, farmácias de manipulação alopática e homeopática, hospitais públicos e privados.

Existe também programas de trainee em grandes multinacionais do ramo farmacêutico e cosmético, como Merck, Servier, Natura, Boticario, Loreal entre outros.

EXEMPLOS DO QUE O PROFISSIONAL PODE FAZER DEPOIS DE FORMADO:

Classificação Brasileira de Ocupações

A primeira categoria de cargos cujo código na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) é 223405 engloba os cargos de Farmacêutico cosmetólogo, Farmacêutico de manipulação, Farmacêutico homeopata, Farmacêutico hospitalar, Farmacêutico magistral, Farmacêutico sanitarista, Farmacologista, Farmacotécnico

A segunda categoria tem o código CBO 223410 engloba os Farmacêuticos de alimentos industrializados, Farmacêutico analista clínico, Farmacêutico bromatologista, Farmacêutico de alimentos, Farmacêutico de segurança de alimentos, Farmacêutico de segurança do trabalho, Farmacêutico imunologista, Farmacêutico industrial, Farmacêutico tecnólogo de alimentos, Farmacêutico toxicologista.

CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO:

Hoje em qualquer profissão, é necessário um aperfeiçoamento constante do profissional, sob pena dele não acompanhar a tendência de sua profissão.

O profissional farmacêutico deve sempre procurar cursos de pós lato e strictu senso, de modo a entender cada vez mais a sua importância como um profissional do medicamento, essencial para a saúde publica e privada.

Produzido pelo Professor Carlos Peregrino, Coordenador Nacional do curso de Farmácia.