Ir para o Portal Estácio
Voltar

Blog

aprendizagem no futuro 1

Aprendizagem no futuro: como será?

Escrito por:

Em um futuro não tão distante, diferentes avanços humanos-tecnológicos vão possibilitar novas aprendizagens aos estudantes. A inteligência emocional, musical, ambiental, espacial, entre outras, tenderão ser mais aproveitadas, em relação às habilidades linguísticas e lógico-matemáticas. O ambiente da tecnologia da informação, comunicação, robótica e virtuais permitirão ainda um aprendizado mais vivo, considerando as variáveis do ambiente. 
Os games também desempenharão papel importante na aprendizagem no futuro, por fazer com que a teoria – tão necessária à construção do conhecimento – possa vir da aplicação prática. O aprendizado se dará por meio da conectividade, da colaboração e da criação coletiva.  A tecnologia facilitará a customização das entregas em função da necessidade de cada aprendiz, individualmente, ao mesmo tempo em que buscará aglutinar o conhecimento em torno de projetos e problemas. 

O saber precisa não mais ser fatiado em diferentes disciplinas e conteúdos”, explica Marcelino Tadeu de Assis, mestre em Administração e Desenvolvimento Empresarial,  autor de cinco livros voltados à gestão de pessoas e coordenador Nacional do Curso de Gestão de Recursos Humanos da Estácio. Segundo ele, o professor também terá um novo papel ao longo desse processo: o de facilitador. O aluno é quem será o protagonista de seu próprio aprendizado.

Nesse futuro abstrato, o professor será ainda mais importante, uma vez que levará o aluno a dominar diferentes áreas do conhecimento e aplicá-los de forma integrada. Será a fase do ensinar-aprendendo, ao contrário do modelo em que o foco ocorre sobre o conteúdo, o cumprimento de um determinando “script” e não da efetiva aprendizagem”, esclarece Marcelino.

O desafio é engajar os estudantes em relação aos conteúdos, orientando-os na análise crítica e na edição das informações conforme sua relevância e pertinência aos temas das aulas”, complementa Luis Carlos Dallier Saldanha, Doutor em Educação e Diretor de Serviços Pedagógicos da Estácio.

E o que as empresas estão esperando desses profissionais no futuro? “A valorização e o respeito às diferenças e às pessoas ainda serão competências essenciais, assim como a aprendizagem continuada, já que o conhecimento será ainda mais provisório. A adaptabilidade também tenderá a ser um elemento importante”, finaliza o professor. 

E você? Está preparado?